Falta de recolha de lixo motiva acusações

(Publicado em: 19 Novembro, 2018)

A falta de recolha de lixo está a gerar uma onda de queixas no município de Azambuja.

O assunto tem sido motivo para reclamações recorrentes em reuniões do executivo camarário.

Em causa está a recolha de lixo, que deixou de ser diária; a lavagem e desinfeção dos contentores, que deixou de ser feita com regularidade; e a recolha de objetos de grandes dimensões, que deixou de existir.

Para o PSD de Azambuja “em sete anos o serviço piorou e muito, mas o preço da taxa de resíduos sólidos urbanos, na fatura da água, aumentou sempre”.

O Presidente da Câmara, Luís de Sousa, manifestou que é intenção da autarquia não renovar o contrato com a empresa que presta este serviço, estando previsto o lançamento de um novo concurso público.

Mas para o PSD “agora não há tempo para fazer o concurso e, para que o lixo não fique à porta dos munícipes, a autarquia aprovou, à pressa, prolongar este contrato de mau serviço com a Ecoambiente”, tendo o partido votado contra esta decisão da autarquia.

Para o PSD “mais uma vez a população não esteve em primeiro”, acusando a autarquia de “prolongar um serviço para esconder a ineficiência da Câmara PS”.

“Há mais de 2 anos que perguntamos, em quase todas as reuniões, como é que a Câmara ia resolver o problema, porque importava decidir se era feito um novo concurso para contratar. A resposta do PS foi que estavam a estudar. Mas, a Câmara PS deixou chegar o ano ao fim sem decidir”, acusa a estrutura laranja azambujense.