S.L. Cartaxo pede apoio à Câmara

(Publicado em: 22 Fevereiro, 2017)

A direção do S.L. Cartaxo reuniu com o presidente da câmara do Cartaxo na passada sexta-feira dia 17 de fevereiro, Tejo Rádio Jornal perguntou a Pedro Magalhães Ribeiro que soluções para ajudar o clube que volta a mergulhar numa crise financeira que já levou à demissão do responsável pelo futebol Luís Salgueiro.

Foi uma reunião de trabalho, onde apresentamos algumas propostas para o S.L.Cartaxo ponderar, de forma a podermos ajudar.

As propostas serão tornadas públicas quando as transmitir ao executivo camarário em reunião de câmara.

O presidente da câmara disse “Estamos apreensivos da parte do município, temos feito de tudo para ajudar o clube. Basta aqui recordar que quando tomamos posse a 16 de outubro de 2013, este executivo foi confrontado, com uma ação despejo, porque o anterior presidente da Câmara, Paulo Varanda, deixou de pagar as rendas do campo das pratas, depois houve uma ordem do tribunal para devolver o terreno ao seu proprietário e nós não podemos contrariar as ordens dos tribunais.

Temos cedido o estádio ao clube, onde o clube não paga a água e luz, ao nível dos transportes sempre que possível os meios do município ou da junta de freguesia são disponibilizados e resolvemos o problema da sede, atualmente o clube não paga renda.

À acerca de duas, três semanas atrás reuni com a direção do Grupo Desportivo de Pontével, para um acordo/protocolo que beneficiasse ambas as entidades, mas na sua legitimidade o Grupo Desportivo de Pontével mostrou-se indisponível na utilização do campo por parte do S.L. Cartaxo”. Pedro Magalhães Ribeiro disse ainda,” estamos solidários com os dirigentes e tenho a esperança de que o clube possa ser restruturado para que aquilo que me parece muito relevante que é o Futebol de Formação possa ser defendido, o que era lamentável que um clube com história do S.L.Cartaxo tivesse a sua atividade suspensa com a quantidade de jovens que têm a praticar desporto, a situação ficou mais complicada depois do clube perder o campo das pratas.

Onde a exploração do bar dava para pagar algumas despesas, compreendemos a insatisfação dos encarregados de educação e dos jovens terem de ir para Vila Nova de São Pedro no concelho de Azambuja treinar e pagar o aluguer do campo”. O presidente da câmara voltou a referir “avançamos com o processo de expropriação do terreno, tem existido conversas com o proprietário e o seu advogado e já disponibilizamos um terreno para um novo campo, mas a solução ideal era que o campo das pratas voltasse para o clube é isso que estamos a tentar, sabendo que não é uma solução fácil uma vez que o proprietário está a exigir 500 mil euros ao município de um acordo feito entre a câmara e o próprio no mandato de Paulo Caldas”.