Opinião/2022 Joaquim Palmela Julho 19, 2022 (Comments off) (272)

Opinião – Banda alargada no Ribatejo 

A banda larga vai ficar ainda mais larga e com mais potência em 29 freguesias do distrito de Santarém. A internet vai chegar com velocidade e qualidade a zonas de menor densidade populacional onde os operadores não quiseram assumir o prejuízo pela prestação do serviço. 

Os operadores não tomaram a iniciativa por livre e espontânea vontade. Alguns municípios, freguesias e grupos de cidadãos protestaram e surge agora uma luz.  

A Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM) regulador nacional no sector das comunicações, deliberou com carácter de obrigação um reforço na cobertura do serviço de banda larga numa centena de freguesias em todo o continente. 

MEO e a Vodafone ficam obrigadas a disponibilizar a 90% da população existente nestes territórios, um serviço de banda larga móvel com um débito mínimo de 100 Mbps. 

No concelho do Cartaxo, foram contempladas as freguesias de Valada e Vila Chã de Ourique. Em Salvaterra de Magos: Muge, Glória e Granho, em Benavente: Samora Correia, Benavente e Santo Estêvão. 

A decisão da ANACOM insere-se no processo de renovação dos direitos de utilização de frequências (DUF) da MEO e da Vodafone nas faixas dos 900 MHz e 1800 MHz, em que a ANACOM impôs a estes operadores obrigações adicionais de cobertura em 100 freguesias de menor densidade populacional, que não estão abrangidas pelas obrigações do regulamento do 5G. 

Os dois operadores chegaram a acordo quanto à distribuição das freguesias que cada um irá cobrir. Dividiram o mal pelas aldeias, como diz o povo, repartindo os alegados prejuízos pelo reduzido número de clientes em povoamentos dispersos. 

É da vida. Quem come a carne tem de comer os ossos! 

 Opinião – Nelson Lopes  – Jornalista desde 1990. Gestor de Comunicação