Atualidade Sociedade Joaquim Palmela Dezembro 8, 2021 (Comments off) (233)

5º Aniversário da Falcoaria em Portugal como Património Cultural Imaterial da Humanidade

No dia 1 de dezembro de 2016, em Addis Abeba na Etiópia, a UNESCO inclui Portugal na Lista de países onde a Falcoaria é uma prática reconhecida como Património Imaterial da Humanidade. Uma candidatura liderada pela Câmara Municipal de Salvaterra de Magos, apresentada juntamente com a Universidade de Évora e a Associação Portuguesa de Falcoaria.

A Câmara Municipal assinalou ontem o 5º aniversário deste importante reconhecimento,  considerando que este seria o momento adequado para homenagear a Professora Doutora Natália Correia Guedes e a Associação Portuguesa de Falcoaria, que este ano assinala o seu 30º aniversário,  inaugurando na Galeria da Falcoaria Real uma exposição de aguarelas “Caçadores Alados” do Falcoeiro André Valério.

Na cerimónia realizada na Falcoaria Real, o Presidente da Câmara Municipal, Hélder Manuel Esménio começou por destacar que “este importante reconhecimento ajudou e ajuda muito na valorização e preservação desta prática, promove esta Falcoaria, a sua Galeria de Exposições e o seu Centro de Documentação e foi também um tónico para a visibilidade que o concelho de Salvaterra de Magos alcançou e impulsionou-nos para uma estratégia e diversidade cultural bem evidentes aliás na Campanha que temos a decorrer de apoio à Economia Local”.

“Natália Correia Guedes estudou, pesquisou e escreveu como ninguém sobre a história de Salvaterra de Magos, é uma grande amiga da nossa terra e uma extraordinária embaixadora da Falcoaria em Portugal e no Mundo”, salientou Hélder Manuel Esménio, acrescentando “a sua ajuda foi fundamental, no início dos anos 90 do século passado, nas negociações que a Câmara Municipal teve que estabelecer com o Conde de Monte Real para a aquisição deste imóvel”.

“Poucos anos antes, os estudos que fez com o seu pai, Joaquim da Silva Correia, permitiram publicar em 1989 e reeditar em 2018 o livro “O Paço Real de Salvaterra de Magos”. Foi com oferta de espólio seu sobre a caça e falcoaria e depois seguido de muitas outras ofertas que em 2017 abrimos o Centro de Documentação da Falcoaria Real, a que atribuímos o seu nome e o de seu pai. Em 1991, Natália Correia Guedes foi co-fundadora e primeira Presidente da Associação Portuguesa de Falcoaria e se hoje Salvaterra de Magos é a “Capital Nacional da Falcoaria” deve-o muito à Professora Doutora Natália Correia Guedes e à Associação Portuguesa de Falcoaria”, referiu.

Hélder Manuel Esménio frisou também “a relevância e mérito do trabalho desenvolvido pela Associação, que anualmente desenvolve várias atividades com o objetivo de promover e proteger a prática da falcoaria em Portugal, sempre disponível para apoiar as iniciativas que desenvolvemos na Falcoaria Real”.

O Presidente da República, Professor Doutor Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de se associar a esta homenagem à Professora Doutora Natália Correia Guedes “e também àquilo que o tempo e o lugar desta homenagem relembram”, tendo enviado uma mensagem em vídeo, na qual evidenciou: “Todos sabemos como Natália Correia Guedes tem sabido conjugar, desde o início da Democracia Portuguesa, a faceta de universitária e especialista, nomeadamente em Museologia, com a de responsável de organismos públicos ou de claro interesse público”, acrescentando “pude acompanhar a miúde, muito de perto ao longo dos anos este seu trabalho informado, diligente e tantas vezes pioneiro”.

 Mensagem de Sua Excelência, o Presidente da República:

Presidente da Republica – Marcelo Rebelo de Sousa



“Em Salvaterra de Magos é também justamente conhecida porque a sua investigação e a sua militância ajudaram em muito a que se concretizasse o objetivo de ver reconhecida pela UNESCO, faz agora cinco anos, a prática da Falcoaria como Património Cultural Imaterial da Humanidade. Como em tantos outros domínios pelos quais se interessou, o empenho da Professora Doutora Natália Correia Guedes foi decisivo para esse sucesso. O Presidente da República Portuguesa, mais do que o cidadão e o amigo, também aqui presentes, saúda-a por isso nesta jornada de celebração e de apego ao nosso património”, concluiu.

A Professora Doutora Natália Correia Guedes deixou o agradecimento à Câmara Municipal e aproveitou a ocasião para oferecer à autarquia a escritura de partilhas datada de 1534 referente ao Senhorio da Vila de Salvaterra, herdado por D. Fradique Manoel, avô do 1º Conde da Atalaia.

Pedro Afonso, presidente da Associação Portuguesa de Falcoaria, agradeceu igualmente à Câmara Municipal, à Universidade de Évora e à Professora Doutora Natália Correia Guedes.

A iniciativa contou com a participação musical da violinista Natália Juskiewicz, acompanhada por Rodolfo Godinho (guitarra portuguesa) e Eduardo Lemos (viola de fado).

A exposição de Aguarelas “Caçadores Alados” de André Valério pode ser visitada até 18 de fevereiro, apresentando uma coletânea de trabalhos realizados ao longo do último ano onde o mote são aves de falcoaria.