Saúde Joaquim Palmela Abril 12, 2022 (Comments off) (394)

62% dos portugueses admitem ter medo de sair após o surgimento da Covid-19

A FREE NOW acaba de revelar as conclusões, algo surpreendentes, de um estudo levado a cabo através da sua aplicação nos vários mercados europeus em que opera, com o intuito de analisar objetivamente os indicadores relacionados com o tão ambicionado regresso à vida normal após o surgimento da pandemia de Covid-19. Este inquérito foi aplicado na Alemanha, Áustria, Espanha, França, Irlanda, Itália, Polónia, Portugal, Reino Unido e Roménia, tendo sido consideradas válidas as respostas de 6019 utilizadores.

Principais conclusões:

  • 62% dos portugueses admitem sofrer de FOGO (Fear of Going Out – medo de sair) com maior ou menor frequência desde o surgimento da pandemia, dois pontos percentuais acima da média europeia. Os países em que mais utilizadores dizem sofrer de FOGO são Irlanda (71%) e Reino Unido (68%). Por outro lado, França (54%) e Áustria (52%) apresentam uma maioria que indica não sofrer com esta síndrome.
  • 45% dos utilizadores lusos cancelaram os seus planos devido à ansiedade criada por uma eventual socialização com outros, mas 55% diz nunca ter mudado o seu comportamento. Em sintonia com o ponto anterior, franceses (65%) e austríacos (57%) são os que mais se evidenciam por nunca terem alterado os planos.
  • 36% dos portugueses aponta como a situação mais stressante as pessoas que fingem ter voltado tudo ao normal, enquanto 33% identifica o facto das pessoas não manterem a distância de segurança e 32% refere que o pior são as viagens em transportes públicos.
  • 68% dos portugueses querem recuperar o tempo perdido com a pandemia realizando atividades sociais, seis pontos percentuais acima da média europeia. O país que mais se destaca neste ponto é Itália (78%).
  • Apenas 25% dos portugueses querem socializar menos agora do que antes da pandemia, enquanto 36% confessa ter mais vontade de socializar agora do que antes..
  • As atividades que os portugueses revelam sentir mais falta  mais sentiram falta são as reuniões com a família e amigos sem restrições (57%) e viajar (46%)..

“O nosso crescimento enquanto super app de mobilidade depende diretamente dos hábitos dos nossos utilizadores. Neste sentido, e no seguimento de uma pandemia que alterou muita coisa, procurámos conhecer quais os seus principais efeitos e a forma como ainda nos afeta e condiciona. Estamos numa posição privilegiada e algumas destas respostas confirmam aquilo que já vínhamos observando, outras são surpreendentes e, no nosso ponto de vista, muito animadoras por sentirmos que os portugueses são dos que estão com mais vontade de voltar à normalidade e recuperar o tempo perdido”, considera André Amaro, Head of Marketing da FREE NOW em Portugal.