Atualidade Saúde A Redação Fevereiro 6, 2024 (Comments off) (402)

Associação Nacional de Laboratórios Clínicos contra internalização de serviços nas ULS

A Associação Nacional de Laboratórios Clínicos (ANL) está contra a recente decisão da Unidade Local de Saúde do Médio Tejo de internalizar grande parte dos serviços de análises clínicas e ao atual modelo de financiamento das Unidades Locais de Saúde (ULS). 

Em comunicado, a ANL salienta que “num setor em que mais de 96% dos pontos de acesso são pontos não públicos, obrigar os utentes a só poderem realizar as suas análises clínicas nos locais da ULS constitui um retrocesso grave na segurança e qualidade dos atos, na liberdade de escolha dos utentes e na concorrência”. Além disso, acrescenta que “os laboratórios e os postos de colheitas das ULS não se encontram licenciados, não cumprem regras de qualidade, e os utentes passam a ser impedidos de acederem, como até agora, à rede existente e de proximidade de laboratórios clínicos com que sempre puderam contar”.  

Já no que respeita às poupanças defendidas pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS) em relação à internalização, a ANL lembra o estudo ‘Quantificação de custos de realização de análises clínicas’, que demonstra que “os laboratórios privados são, e sempre foram, mais eficientes e capazes de realizar as análises clínicas de forma mais próxima, sem listas de espera, com mais qualidade e a um custo inferior do que se realizadas internamente nos hospitais públicos. Estes processos de internalização produzem prejuízos graves para os utentes e colocam em causa a sustentabilidade dos laboratórios de análises clínicas, que empregam mais de 15.000 colaboradores”.