Câmara do Cartaxo paga Sintéticos o Banco, BPI oferece os Sintéticos aos Clubes

A Câmara Municipal do Cartaxo vai ter que de devolver os sintéticos instalados em Vila Chã de Ourique e em Pontével ao Banco, BPI.

Em causa está o processo de financiamento destes dois equipamentos. O processo nasceu de uma denúncia anónima, que deu origem a uma inspeção feita pela Inspeção Geral de Finanças. Que detetou irregularidades, que enviou para o Ministério Público, que as encaminhou para o Tribunal Administrativo e Fiscal de Leiria.

“Esta é mais uma situação pendente na Câmara Municipal”, disse Fernando Amorim, vice-presidente da autarquia, “referente ao final de 2007 e 2008, relativamente ao processo de financiamento e não ao processo de aquisição dos sintéticos com as empresas que instalaram os sintéticos”.

Paralelamente, decorre outro processo em tribunal, um pedido indemnizatório ao Município do Cartaxo.

“O BPI, depois, irá entrar em contacto com os respetivos clubes, e fará ou uma doação ou algum acordo com os clubes, quem vai ser penalizado aqui é o Município que, como o BPI vai colocar uma ação judicial contra o Município do Cartaxo, este vai ser condenado a pagar uma indemnização” pelos prejuízos decorrentes da utilização continuada dos sintéticos, explicou o autarca. Esta indemnização é de mais de 826 mil euros, relativos ao custo dos dois Sintéticos, mais os juros desde 2011, altura em que a Câmara Municipal deixou de pagar as rendas.

Apesar de o sintético instalado no Campo das Pratas não estar a ser alvo de processo judicial, a Câmara Municipal vai canalizar os cerca de 267 mil euros já pagos em rendas dos sintéticos de Pontével e Vila Chã de Ourique que vai receber do banco, para o pagamento deste sintético.

  1. Carlos Ferreira Reply

    Mas será possível os responsáveis não serem duramente castigados???

Deixe um Comentario

*