Saúde A Redação Janeiro 12, 2023 (Comments off) (147)

CHMT alcança 6.000 dádivas de sangue em 2022 

O Serviço de Imuno-Hemoterapia do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) colheu, durante os 12 meses de 2022, 6.000 dádivas de sangue nas três unidades hospitalares localizadas em Abrantes, Tomar e Torres Novas.  

Este marco só foi possível alcançar devido ao gesto benévolo e altruísta de 4.430 dadores, havendo a assinalar a contribuição generosa de 450 dadores que pela primeira vez na sua vida se associaram a esta causa e decidiram fazê-lo numa unidade hospitalar do CHMT.  

Estas 6.000 dádivas permitiram transfundir 4.100 unidades de concentrados de eritrócitos (glóbulos vermelhos), 250 bolsas de plaquetas e 444 unidades de plasma fresco congelado aos doentes internados nas três unidades do CHMT.  

Outras instituições do SNS, como o Hospital Distrital de Santarém, o Hospital de Santa Cruz e o Hospital de Santa Maria também receberam sangue, ou um dos seus componentes colhidos no CHMT, que permitiram acorrer a situações programadas ou de risco de vida iminente, como acidentes, intervenções cirúrgicas, partos, anemias graves, doença oncológica, entre outras. 

A faixa etária mais solidária na dádiva de sangue na região do Médio Tejo foi, em 2022, a dos 45 aos 65 anos, registando um total 2088 dádivas. Os mais jovens foram quem menos sangue doou. As três unidades do CHMT receberam 407 dadores entre os 18 e os 25 anos. Os dadores homens estiveram em maioria em 2022 – foram 2765, enquanto as dadoras mulheres foram 1665. 

Para que possa doar sangue, só é necessário ser saudável, ter um peso igual ou superior a 50 quilos, e idade compreendida entre os 18 e os 65 anos. Para uma primeira dádiva, o limite de idade é aos 60 anos. Os homens podem dar sangue de três em três meses e as mulheres de quatro em quatro meses.