Comissão dos 200 Anos

Publicado em 15 Mai 2015
Comment: Off

COMISSAO 200 ANOS

Envolver a comunidade educativa e associativa, celebrar a memória, a cultura e a história do Cartaxo, promover projetos que tenham continuidade para além do ano das comemorações, foram os três objetivos estratégicos propostos à Comissão, por Pedro Magalhães Ribeiro.

Primeira reunião da Comissão contou com a presença de técnicos municipais e representantes de forças políticas, que o presidente da Câmara convidou porque “as Comemorações devem ser um momento de união e participação ativa de todos os que se preocupam com a preservação da nossa identidade e com a afirmação do nosso futuro enquanto comunidade” que precisa estar “aberta à diferença de pensamento e ao debate que, mais do que consenso, gere coesão”.

A Biblioteca Municipal Marcelino Mesquita foi o lugar escolhido para a primeira reunião de trabalho da Comissão das Comemorações dos 200 Anos de Elevação do Cartaxo a Concelho, que decorreu no dia 8 de maio.

Para além de Miguel Leal, que preside à Comissão e dos elementos que a compõem – com formação académica e experiência profissional reconhecidas em áreas que vão da cultura ao empreendedorismo, passando pelo ensino e saúde, para além de manterem estreita ligação ao concelho – a reunião contou com a presença de técnicos da Câmara Municipal, de representantes de forças políticas e do presidente da Assembleia Municipal, Gentil Duarte.

Quer os elementos da Comissão, quer os técnicos municipais e os membros da assembleia Municipal, participaram no que foi “uma troca de ideias inicial, mas da qual destaco o entusiasmo e a diversidade de olhares sobre o Cartaxo, que só podem enriquecer estas Comemorações, foi muito bom ver que todos têm já muitas ideias e projetos que vão de encontro aos objetivos que estabelecemos”, afirmou o presidente da Câmara, explicando que “esta Comissão tem muito trabalho a desenvolver. A proposta de programa deve estar em fase avançada em julho, para ser apresentada aos eleitos autárquicos e depois de aprovada, ser coordenada com a comunidade educativa e associativa”, para o que assegurou “a Comissão terá toda a disponibilidade dos serviços e dos técnicos municipais”.