Empresas Autarcas e Governantes reuniram em Videoconferência

Publicado em 15 Mai 2020
Comment: Off

Decorreu, no final da manhã desta quinta-feira, 14 de maio, uma reunião por videoconferência onde várias entidades e cerca de 20 empresas debateram questões ligadas ao transporte ferroviário que serve, nomeadamente, a zona industrial Vila Nova da Rainha / Azambuja.

Além do Presidente da Câmara Municipal de Azambuja, Luís de Sousa, e de representantes de cerca de 20 empresas deste concelho, a reunião contou com a participação do Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, dos Secretários de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, e dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, bem como dos presidentes da Refer e da CP .

No contexto da atual pandemia Covid-19, este encontro tinha como objetivo articular uma melhor resposta das condições de utilização dos comboios que servem diariamente grande parte das cerca de 8500 pessoas que trabalham nesta grande área empresarial.

Da informação recolhida, dos vários testemunhos partilhados e da observação direta no terreno, constata-se, mesmo nas chamadas “horas de ponta”, que as carruagens são suficientes para o número de passageiros em presença.

Esta realidade foi confirmada pelo grupo de trabalho de Proteção Civil, verificando já esta semana que a maioria dos passageiros ocupa lugares espaçados e são portadores de máscara.

O problema reside no momento da saída do comboio, nas escadas de acesso à passagem superior e no percurso entre a estação e as instalações das empresas. Nesse momento, e nesses espaços que têm as suas limitações, fica altamente comprometida a regra do distanciamento social com a aglomeração de largas dezenas de pessoas.

Foi decidido criar um grupo de trabalho com elementos da autarquia, da Refer, da CP e de algumas empresas para que se possam implementar mais medidas de sensibilização e vigilância.

Da parte do governo, segue um pedido ao Ministério da Administração Interna para aumentar o número de agentes da autoridade e o número de ações de vigilância nas estações, sobretudo nos períodos de maior circulação.

Além da necessidade de melhorar as condições dos equipamentos e do espaço público, volta a sublinhar-se que o combate à pandemia exige, igualmente, um novo comportamento individual e uma tomada de consciência de cada cidadão.

Noticias relacionadas