Espaço de Opinião – Quinta-feira com Mário Reis, Professor do 1ºciclo

(Publicado em: 12 Junho, 2020)

Todas as quintas-feiras aqui a opinião de:

Mário Reis: Professor do 1º ciclo no Agrupamento D. Sancho I, Pontével – Cartaxo

Membro da Assembleia Municipal do Cartaxo

Dirigente associativo dedicado ao teatro.

Para ler no site da Tejo Rádio Jornal

Opinião 4 junho 2020

AFETADOS, ESTAMOS TODOS!

Pertenço ao grupo de privilegiados que, face à epidemia Covid-19, sofreu apenas os efeitos da ausência: ausência de convívio, ausência de contacto, ausência de possibilidade de deslocação, mas sobretudo, ausência da família, dos amigos, do palco…

Graças a uma profissão estável num Ministério, não sofri lay-off, redução de salário, dispensa laboral: bem, tive uns percalços na carpintaria de cena, mas isso…

Não fui infetado, fui ligeiramente afetado! Mas pelos vistos, já passou!

Tenho a notícia de muito boa gente que sofreu e ainda sofre o drama da infeção.

Tenho a notícia de familiares e amigos afetados diretamente, com as consequências da doença dos seus entes queridos, a sobrecarregar o confinamento, que parece que já acabou, ou que pelo menos agora é apenas em parte.

Tenho a notícia de muita gente a receber 66 % do salário, outros colocados em situação de lay-off e que, uns e outros, perderam parte substancial dos seus rendimentos.

Tenho a notícia de que subsistem fundadas dúvidas de que muitas empresas voltem a funcionar, de todo ou normalmente.

Tenho a notícia de que muitos trabalhadores viram os seus contratos de trabalho terminar.

Tenho a notícia de que muitos trabalhadores em situação de emprego precário, em trabalho sazonal ou dos serviços por conta própria se viram sem qualquer fonte de rendimento, particularmente os trabalhadores da área da cultura e das artes que ainda não conseguem descortinar o seu futuro.

Tenho a notícia que micro, pequenos e médios empresários, ligados aos mais diversos ramos de atividade económica, como a hotelaria, cabeleireiros, esteticistas, transportes, reparação automóvel, restauração, exportação, … os produtores vitivinícolas, tiveram que suspender as suas atividades, provocando a falta de liquidez financeira capaz de honrar os seus compromissos os seus funcionários, e que agora se deparam com grandes incertezas de que tenham condições para recomeçar.

Tenho a notícia, porque a pandemia ainda não terminou, nem foi controlada: não há cura universal, nem vacina preventiva. E eu vou-me ficando pela notícia que dá num só dia a declaração de infeção a 350 pessoas só na Grande Lisboa…

Pois, tenho a notícia de multidões que passeiam, que se juntam em esplanadas, que enchem comércios… quando todos os cuidados são poucos!

Já passou! Eu continuo em confinamento: teletrabalho, máscara, sem contactos e as viagens essenciais. Porém…