Espaço de Opinião – Sexta-feira com Miguel Ribeiro, Consultor de Cibersegurança

(Publicado em: 19 Junho, 2020)

Todas as Sextas-feiras aqui a opinião de:

Miguel Ribeiro: Consultor de Segurança Informática

Professor Voluntário na Universidade Sénior do Cartaxo

Residente e Natural do Cartaxo.

Para ler no site da Tejo Rádio Jornal

Opinião: 18 junho 2020

Comunicação Online..
Uma Aprendizagem contínua..

Cada vez mais a nossa forma de comunicar uns com os outros é menos presencial ou física..
Comunicamos por mensagens de texto, por voz ou por video, e temos cada vez mais meios para o fazermos ao nosso dispor, pcs, telemóveis, tablets, pcs, relógios, etc..
Quando comunicamos com alguém, por norma sabemos com quem estamos a comunicar, e o intuito dessa comunicação foi propositado, ou seja, a maior parte das pessoas para quem ligamos telefonicamente, enviamos uma mensagem de texto ou fazemos uma video chamada, conhecemos pessoalmente e fisicamente..
Mas isso está a mudar, cada vez mais as pessoas conhecem-se através da internet (Online) do que fisicamente.. Se há uns anos atrás o grupo de amigos de uma criança eram os seus vizinhos com quem jogava há bola na rua, hoje em dia eles podem ser um pouco de toda a parte do mundo..
E isso traz muitas dores de cabeça aos pais desta geração de transição e mais ainda aos avós.. Habituados a conhecer formas de implementar regras através da maneira em como foram educados, percebem agora que esses modelos “antigos” são na sua grande maioria, ineficazes..
Os pais e avós vem se de tal forma suprimidos no seu papel de implementar e definir regras, que são eles a solicitar aos filhos que lhes expliquem como as podem implementar..
Então o mundo Online tem poucas ou nenhumas regras comparado com o mundo físico, mas mais importante que isso, não tem os valores educacionais que os pais passavam para os filhos quando o seu mundo era apenas físico e não virtual..
Não sabendo eles (pais e avós) próprios como se comportar no mundo Online, não sendo na grande maioria das vezes um bom exemplo, sendo muitas vezes o mau exemplo..
Quando os avós não sabem dar o exemplo..
Quando os pais não sabem dar o exemplo..
Quando os filhos não tem um exemplo para seguir..
A Comunicação Online carece de Bons Exemplos..
E desse modo funciona como a conhecemos, onde é um pouco um mundo sem educação, sem respeito, sem valores morais..
Reconhecendo o problema, urge-se na procura de soluções..
Há quem diga que devemos proibir as comunicações livres entre pessoas, acabando com as redes sociais, ou qualquer tipo de programas de chats..
Há quem diga que deve se moderar ou restringir mais as conversas, ou publicações..
Sempre que censuramos algo com que não concordamos, não estamos a resolver um problema, estamos a esconde-lo, estamos a limitar e a formatar a nossa comunicação, o problema vai sempre existir..
Quando falamos com alguém fisicamente ou alguém que já conhecemos, temos em atenção a diversos factores, como a idade, o estado de saúde aparente, tom de voz e expressões faciais.. Todos estes factores condicionam a nossa abordagem a qualquer tema de conversa..
Como ao ler um livro, cada um interpreta o que está escrito da mesma maneira, ao ver um video essa diferença de interpretação diminui..
No futuro iremos resolver grande parte dos nossos problemas de Comunicação Online através do Video, e através do que os jovens de hoje irão transmitir aos seus filhos de amanha..
Porque a única coisa que os Pais e Avós poderão fazer neste momento é adaptar-se, e aprenderem eles próprios a serem um bom exemplo para os seus filhos e netos construírem Online..