Atualidade Política Sociedade Ana Mesquita Dezembro 11, 2021 (Comments off) (351)

Ministro do Ambiente elogia Ecolezíria pelo cumprimento de metas ambientais

O Ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, presidiu à inauguração dos cinco Centros de Compostagem Comunitária das freguesias de Pontével, Glória do Ribatejo e Granho, Benfica do Ribatejo, Muge e Alpiarça, e elogiou o trabalho levado a cabo pela Ecolezíria.  A cerimónia ocorreu simbolicamente no Estaleiro da Junta de Freguesia de Glória do Ribatejo, na tarde do passado dia 6 de dezembro.

O ministro enalteceu o trabalho feito pela Ecolezíria no domínio ambiental, salientando que “estamos aqui perante uma das poucas empresas em Portugal que cumprem as metas estratégicas ambientais. E isso deixa-me muito orgulhoso”.

A instalação destes centros ocorre no âmbito de um projeto de Compostagem Comunitária levado a cabo pela Ecolezíria, em parceria com as Juntas de Freguesia, e cofinanciado pelo Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (POSEUR). Esta é uma iniciativa que surge do objetivo de disponibilizar à população meios para a realização da compostagem em meio comunitário, incentivando a comunidade a transformar os seus resíduos orgânicos provenientes das habitações e limpezas de jardins das freguesias, contribuindo para a economia circular à escala local.

Qualquer pessoa pode participar, desde que tenha residência numa das cinco freguesias aderentes. Para tal, basta dirigir-se à Junta para proceder à inscrição e para receber de forma gratuita todo o material necessário. No final, o composto produzido nestes centros de compostagem poderá ser reutilizado pelos participantes na fertilização das suas plantas ou ser canalizado para adubar espaços verdes públicos.

Esta ação faz parte de uma estratégia global da Ecolezíria que dá o mote à campanha “A Rua é a Casa de Todos”, e que pretende assegurar o cumprimento das metas definidas pela União Europeia para a reutilização e a reciclagem de 55por cento dos resíduos urbanos em 2025 e 65 por cento em 2030.