Sociedade Ana Mesquita Junho 7, 2022 (Comments off) (819)

Morreu a fadista Eulália Duarte

Morreu a fadista Eulália Duarte. Residente na Ereira há décadas, Eulália Duarte era natural do Lumiar, em Lisboa, onde nasceu a 13 de abril de 1928.

Voz singular do Fado, estreou-se com apenas 19 anos no Café Luso, mas foi em Moçambique, na então Lourenço Marques, que alcançou grande projeção.

Eleita “Rainha do Fado” em 1972, é considerada uma das últimas divas da canção nacional. Na sua voz ficaram imortalizados temas como “Você Chega a Estas Horas”, “Lenda das Rosas”, “Sabor do Fado”, “Lisboa minha Lisboa”, “No Ribatejo”, “O Meu Cigano”, entre tantos outros.

Fez cinema, onde se destaca “O Explicador de Matemática”, de 1972, de Courinha Ramos; fez televisão, teatro de revista, foi solista de orquestras, cantou nas melhores casa de fado, recebeu vários prémios nas muitas décadas de carreira.

Em 2012, Eulália Duarte foi homenageada pela Rádio Cartaxo, na eliminatória da Ereira do I Concurso de Fado Amador do Concelho do Cartaxo.

A Ereira homenageou-a nos seus 60 anos de carreira, festa em que juntou muitos amigos e, em 2016, a Comissão de Festas da Ereira, a Câmara Municipal do Cartaxo, a Sociedade Filarmónica Ereirense e a Junta de Freguesia fizeram-lhe nova homenagem.

Eulália Duarte faleceu esta segunda-feira aos 96 anos. As cerimónias fúnebres realiza-se esta quarta-feira, às 10h, na igreja da Ereira, de onde seguirá para o cemitério.

Fado – O Meu Cigano