No Cartaxo Câmara e instituições com valência de Lar de Idosos constituíram grupo de trabalho

Publicado em 14 Abr 2020
Comment: Off

Com o objetivo de aprofundar o trabalho que a área de ação Social e Saúde, tem vindo a desenvolver no acompanhamento das Estruturas Residenciais para Idosos (ERPI) e residências de acolhimento, a Câmara Municipal do Cartaxo reuniu ontem, dia 13 de abril, por videoconferência, o executivo com pelouros, os técnicos municipais de ação social e proteção civil, os Bombeiros Municipais e os representantes e diretores técnicos das instituições que no concelho acolhem idosos e utentes com necessidade de cuidados especiais e que constituem população de risco.

Às instituições, o presidente da Câmara Municipal explicou que a autarquia criou zonas de quarentena (Zonas de Concentração e Apoio à População), que estão instaladas no Cartaxo, na Escola Secundária e no Ateneu Artístico Cartaxense, em Pontével, na Escola Básica de 1.º Ciclo de Pontével, em Vila Chã de Ourique, no Pavilhão de Festas e na Associação Comunitária de Assistência Social de Vila Chã de Ourique (ACAS), na Lapa, na sede do Rancho Folclórico e na Ereira, na sede da Casa do Povo.

A zona de quarentena que a Câmara Municipal criou na ACAS, a única que foi definida pela segurança social para apoio de primeira linha, “tem apenas cinco camas. Desde o início, considerámos que esta zona será útil se for necessário colocar algumas pessoas em isolamento, mas não terá capacidade de resposta se for necessário evacuar um lar de idosos para desinfetar o espaço, por exemplo”.

Assim, “uma das primeiras zonas de quarentena que equipámos, a de Pontével, foi criada a pensar nos lares de idosos. Tem disponíveis 16 camas articuladas, espaço de cantina para preparação de refeições, as camas estão distribuídas pelo que eram as antigas salas de aula, o que permitirá isolar grupos de pessoas, de acordo com a sua patologia ou autonomia”, afirmou o autarca.

Nas zonas de quarentena já ativadas – na Escola Secundária do Cartaxo e no pavilhão de Festas de Vila Chã de Ourique – “estão a cumprir isolamento 32 pessoas, que são apoiadas pelos nossos serviços e por uma rede de voluntários”, solução que a autarquia sabe que “não poderemos reproduzir em caso de necessidade de evacuação de um lar de idosos ou residência de acolhimento, porque sabemos que estes utentes precisam de cuidadores com formação técnica e experiência profissional adequadas”.

Durante a reunião, as instituições deram ainda nota das dificuldades sentidas na aquisição de equipamentos de proteção pessoal, quer para uso pelos utentes, quer pelos técnicos e trabalhadores – prazos de entrega muito longos, equipamentos com materiais de menor qualidade e preços muito elevados e fizeram o balanço da Covid19 nas suas instituições, tendo informado que não existem casos suspeitos ou confirmados em qualquer instituição. Como medida preventiva, os idosos que necessitam de cuidados em unidade hospitalar ou de saúde, são mantidos em espaço isolado durante o período recomendado de quarentena.

Noticias relacionadas