Opinião/2022 Joaquim Palmela Agosto 2, 2022 (Comments off) (134)

Opinião – Antídoto Ineficaz

Existe um contrassenso enorme no panorama político mundial, de tal ordem, que qualquer previsão do que vai acontecer na geopolítica mundial até ao final desta década vai, certamente, estar errada no seu todo, ou, no mínimo, em grande parte da mesma.

Com a guerra entre Rússia e Ucrânia, vários países impuseram fortes sanções económicas à Rússia, algumas históricas, e com a convicção que a ia ser o Colapso Económico e Financeiro para os russos. Ouvíamos constantemente nas televisões, e não só, que a Europa e os Estados Unidos, principalmente, iam levar a Rússia à Bancarrota e os próprios russos iriam fazer uma revolução no seu país devido a esse colapso económico.

O que estamos a assistir nos dias de hoje é que o Colapso Económico está mais perto de acontecer à Europa e aos Estados Unidos do que há Rússia… Os Estados Unidos estão a entrar em recessão, e a Europa com uma crise energética sem precedentes… Veremos que consequências surgirão depois disto. Será que a Ásia se tornara o novo centro económico do mundo, substituindo a Europa e a América?

Mas, como se isso só não chegasse, temos Taiwan. A China tem declarado que, através da sua política de “Uma China Única”, Taiwan pertence ao território chinês – o Presidente chinês Xi, já o afirmou várias vezes, indicando às suas tropas para estarem preparadas até 2027. Entretanto, os Estados Unidos decidiram continuar a mostrar o seu apoio a Taiwan e à sua luta pela independência, e bem, com a representante do Senado americano a indicar que iria viajar até Taiwan, e a China a dizer que iria haver consequências “terríveis” para os Estados Unidos se ela fizesse isso (se isto não é uma ameaça…).

Os indecisos… Sendo que Austrália, Nova Zelândia, Japão e Coreia do Sul estão claramente do lado dos Americanos, a Índia e os Emirados Árabes Unidos têm mostrado uma posição muito dúbia, sendo que a Índia está a ganhar muito dinheiro através do gás russo, que revende para a Europa; os Emirados Árabes Unidos têm aproveitado para uma mostrar uma posição de força contra as novas “políticas verdes” da Administração Biden. Também no Médio Oriente tivemos, recentemente, o anúncio do Irão que estão a escassos meses de terem o enriquecimento de urânio completo e possuírem armas nucleares. O que será que Israel pensa sobre isso?

Para terminar, temos as presidenciais do Brasil, que eu lembro-me de quando o Bolsonaro concorreu, havia, na comunicação social e não só, muitas pessoas a dizerem que ia ser o fim da democracia no Brasil, perseguições, os militares iam tomar conta de tudo… Bem, não foi nada disso que aconteceu. Curiosamente, o Brasil, neste momento, encontra-se bem financeiramente e é visto como uma das maiores potências do mundo. Mas veem aí as próximas eleições presidenciais, e as televisões têm apontado Lula da Silva, opositor do Bolsonaro, como vencedor. Até aqui, nada de novo… até ao momento em que o presidente da Ucrânia inclui, corretamente, o ex-presidente do Brasil, Lula da Silva, como um apoiante dos russos, confirmado pelo próprio Lula que, além de apoiante da Rússia o é da China, também…

Os media no Brasil não podem com o Bolsonaro, mas também não podem com a Rússia e com a China… de que lado vai ficar o Brasil?

Não falei do colapso político inglês, ou do francês, ou mesmo o italiano… vão ficar para uma próxima crónica…

Opinião . Miguel Ribeiro – Consultor de Segurança, de Tecnologias Microsoft e Administrador de sistemas.