Opinião – Benavente – Análise ao Orçamento e Grandes Opções de Investimento

1.º Tenho defendido desde 2013, a redução gradual e sustentada dos impostos municipais (IMI e Derrama), pelo que, concordo com a continuidade da redução da carga fiscal, quer por via destes impostos ou de outros, desde que não ponha em causa o equilíbrio financeiro da autarquia.

2.º O Orçamento apresenta uma despesa com pessoal considerável, que compreendo do ponto de vista social e do direito das pessoas ao trabalho e ao seu salário, mas deve merecer alguma ponderação e reflexão, porque limita a margem financeira, para outro tipo de investimentos com foco na qualidade de vida das populações.

3.º Existem um conjunto de obras municipais em curso e previstas, com as quais concordo em termos globais, salvo algumas exceções em que, faria outras opções, teria outras prioridades e definiria outro tipo de projetos. Mas, aceitando que estas são as opções legítimas de quem governa, é preciso fiscalizar e acompanhar essas obras municipais,  para que as mesmas sejam bem executadas e tenham utilidade para a população.

4.º Em termos ambientais e ecológicos, é preciso reforçar a instalação de ecopontos e ilhas ecológicas, sobretudo nas zonas de maior aglomerado populacional e próximo do comércio e restauração (restaurantes, cafés, bares, lojas). Melhorar a sensibilização e a recolha de resíduos sólidos urbanos.

5.º Devemos estudar a hipótese de suportar os custos do passe escolar para os alunos do secundário, em função das necessidades financeiras das famílias e do aproveitamento escolar comprovado.

6.º Devemos estudar e refletir sobre a hipótese, em 2022, de termos um orçamento participativo, mas é preciso criar as condições humanas, logísticas e financeiras, para que o mesmo tenha sucesso.

Opinião: Pedro Pereira, Licenciado em Gestão Autárquica, Vereador da Câmara Municipal de Benavente e Autor do livro “Frases que podem mudar a sua vida”.

Noticias relacionadas

Deixe um Comentario

*