Opinião/2022 Joaquim Palmela Junho 8, 2022 (Comments off) (387)

Opinião – Cartaxo Online 20.000 Membros

O Cartaxo Online é um Grupo do Facebook que criei há 8 anos (janeiro de 2016), na altura a ideia de criar o grupo tinha o sentido de unir pessoas, com o um único elemento em comum eram do Cartaxo ou tinham alguma relação com o Cartaxo, rapidamente o grupo cresceu, até se vir tornar o maior grupo sobre o Cartaxo, nas Redes Sociais.

Gerir o Cartaxo Online, não é fácil, porque gerir pessoas e as opiniões delas sobre qualquer determinado tema, é um desafio enorme quando tentamos ser o mais imparciais possíveis, sobre qualquer tema.

As pessoas.. O ser humano não é fácil de lidar, somos seres complexos, e únicos na sua individualidade de cada um. Assim como não é fácil por vezes gerir uma reunião de trabalho, uma reunião de condomínio, um qualquer grupo de pessoas. Temos que saber dar a oportunidade de todos se expressarem, sabendo que existe uma linha muito ténue entre a liberdade de expressão e a ofensa.

O Grupo passou por varias metamorfoses, ao inicio o contacto entre os membros era marcada pela saudade dos que eram do cartaxo, mas por vários motivos tiveram que sair da cidade, do concelho, do país.. “Mataram-se” muitas saudades e fizeram-se dezenas de reencontros virtuais entre amigos da mesma terra que já não se falavam há muito tempo. Entretanto o grupo continuou a crescer e entre as trocas de amizades, também existiam as trocas de opinião. (Porque é um facto, que todas as pessoas tem uma opinião para dar).

Quando temos numa Assembleia Municipal, cerca de 30 a 40 pessoas, numa Reunião de Camara, cerca de 10 a 15 pessoas, numa Assembleia de Freguesia, cerca de 20 a 30 pessoas. Sendo que apenas 5% destes participantes são referentes ao publico (Comunidade em geral).

Os Debates sobre o Concelho, sobre a Cidade, sobre a vida dos Munícipes são realizados onde estão cerca de 10.000 Mil residentes do Cartaxo, e onde todos podem expressar a sua opinião.
Esta Praça Publica Virtual, “alberga” mais de 20.000 pessoas neste momento, tem capacidade para se realizarem debates, para mais pessoas, que o Centro Cultural do Cartaxo, que na Camara Municipal, que em qualquer edifício publico ou não do Cartaxo, incluído cafés, restaurantes, centro de exposições etc..

Bom, mas não é na Praça Virtual que se tomam decisões politicas, sobre os problemas da comunidade, é nos locais que antes referi dos 5% de participação..
A verdade é que muitos assuntos debatidos na “Praça Publica Virtual” foram imediatamente resolvidos pelas instituições, e muitos de forma mais rápida, do que se tivessem que esperar que as reuniões das mesmas se realizassem. Isso acontece porque os políticos “vivem” da opinião da comunidade, no “final do dia”, é essa mesma opinião que vai decidir se eles mantem o cargo nas próximas eleições ou não.

Todos nós estamos sujeitos ao “Julgamento” na Praça Publica Virtual, a partir do momento em que estamos expostos no mundo Virtual, temos que apreender as regras do mesmo. Não são de todo iguais às do mundo físico, embora seja para essa uniformização que a nossa sociedade tem evoluído. E não tenham duvidas, que existe uma balança em que todos nós interferimos, no sentido de equilibrar o nosso sentido de justiça.

“Se o homem falhar em conciliar a justiça e a liberdade, então falha em tudo.” Albert Camus

Opinião . Miguel Ribeiro – Consultor de Segurança, de Tecnologias Microsoft e Administrador de sistemas.