Opinião/2022 Joaquim Palmela Janeiro 18, 2023 (Comments off) (276)

Opinião – Dignificar o Poder Local e separar o trigo do joio 

Não são os jornalistas e comentadores que estão a destruir o património moral do Poder Local Democrático. 

Quem destrói a credibilidade dos autarcas são os eleitos criminosos e prevaricadores que acham que tudo podem.  Os oportunistas que abusam da impunidade e das falhas do sistema de fiscalização e escrutínio. 

Eleitores e contribuintes, que alimentam a ideia de que quem “rouba mas faz obra”, tem direito ao perdão, também ajudam à festa. 

Quem rouba nunca pode ser um gestor do bem público. O lugar de quem rouba é na prisão. 

A política é uma atividade nobre e rege-se por regras e códigos de conduta. Quem desempenha cargos públicos está obrigado à Ética Republicana 

Todavia, não nos deixemos cair na tentação perigosa da generalização. Os políticos não são todos iguais. Temos obrigação de travar esta pandemia de descrédito e maledicência que afasta as pessoas de bem, honestas e com credibilidade de arriscar servir a República.  

Trabalho com o poder local há 30 anos. Estou convicto de que a maioria dos eleitos é gente séria, honesta e que presta contas às entidades escrutinadoras e às oposições. 

Conheço autarcas que serviram durante 40 anos sem se servirem e que estão a ter uma velhice dura por falta de recursos e ingrata por ausência de gratidão dos que ajudaram. 

Também conheço duas mãos cheias de trafulhas que chegaram à política com uma mão à frente e outra atrás e conseguiram enriquecer a sua família e várias famílias próximas com esquemas de duvidosa legalidade e sem qualquer ética. Gente sem vergonha, capaz de vender a alma. 

Continuo a acreditar que os criminosos são uma minoria, mas um que fosse já seria perturbador do bom funcionamento do Poder Local Democrático, uma das melhores conquistas dos portugueses no século XX. 

Uma árvore não faz uma floresta, mas uma laranja podre, se não for colhida, pode destruir um pomar. 

Opinião – Nelson Lopes  – Gestor de Comunicação