Opinião/2022 Ana Mesquita Março 8, 2022 (Comments off) (185)

Opinião – O milagre da multiplicação e a cegueira ideológica

O ser humano é capaz do melhor e do pior. Numa sociedade competitiva, invejosa com a marca da “chico esperto” que faz tudo para enganar o próximo, encontramos gente com uma Alma enorme e capaz de ir ao fim do Mundo para ajudar quem não conhece e nunca viu. Envolvi-me de corpo e alma nesta onda solidária e ao 11º dia da guerra, os portugueses e os que aqui vivem, já encheram centenas de camiões de ajuda humanitária.

Pessoas sem grandes recursos que disponibilizam as casas onde vivem para partilhar com quem foge da guerra. A Dona Manuela com quase 80 anos, que vai acolher mãe e duas filhas ou a Dona Adelaide que se manifesta disponível para acolher uma família sem impor condições. Manuela viveu em África e em 1975 teve de deixar o marido, oficial do Exército, e partir para a sua terra natal com os dois filhos pequenos e a roupa que traziam no corpo. Sofreu na pele o drama da guerra, da separação, do ficar sem nada e sem chão. Somos o nosso ADN, mas também fruto do que vivemos e nos transforma.

Uns para melhor outros infelizmente para o lado mais negro do ser humano. O Ribatejo tem dado uma resposta de enorme solidariedade com a multiplicação de vontades. Associações, grupos de voluntários, municípios, juntas de freguesia, bombeiros e cidadãos de forma individual angariaram centenas de toneladas de bens. Vi quem doou toda a reserva que tinha na dispensa e até se esqueceu que tinha a família para alimentar. É o impulso de ajudar.

Dizer Presente. A necessidade de consolar a alma partida com gestos de amor e compaixão. P.S. Continuo sem entender as reservas e a cegueira ideológica das autarquias comunistas e das associações por elas financiadas. Esperamos que a inflexão visível no discurso do Secretário Geral do PCP, Jerónimo de Sousa, abra novos horizontes e destrua os muros ideológicos. Este é o momento de construir pontes.

Nelson Lopes 08 de março 2022 13º dia da Guerra