Opinião/2022 Ana Mesquita Março 3, 2022 (Comments off) (298)

Opinião – Uma guerra que ninguém quer..

Durante anos que vários países aumentaram o arsenal nuclear pelo mundo, no entanto só temos conhecimento de um, que realmente lançou bombas nucleares sobre outra população.
Ficamos a conhecer com Nagasaki e Hiroshima, o que as bombas nucleares podem fazer a uma população, mais de 100 mil pessoas morreram naquele dia, naquelas cidades, outros 100 mil morreram nas semanas seguintes.. não tiveram hipótese de se esconder, de fugir, de se proteger..
Foram apenas 2.. Nos dias de hoje EUA e Rússia tem 90% das armas nucleares do mundo, os EUA tem cerca de (5550) e a Rússia (6257), seguidos da China (350), França (290), UK (225), Paquistão (165), India (156), Israel (90), Coreia do Norte (50), entre outros..

“O Holocausto Nuclear é o risco de extinção da vida humana, na Terra, em função de uma guerra nuclear. O impacto de uma arma nuclear começa pelo calor que seria terrível para aqueles mais próximos da explosão cerca de 300.000 graus Celsius. Queimaduras de primeiro grau podem ocorrer até 11 km de distância, e queimaduras de terceiro grau poderiam afetar qualquer pessoa até 80 km de distância. Queimaduras de terceiro grau que cobrem mais de 24% do corpo provavelmente seriam fatais, se as pessoas não recebessem cuidados médicos imediatamente.”

Este é o primeiro impacto, mas depois..

“O evento, colocaria mais de cinco milhões de toneladas de fumo preto na atmosfera, bloquearia a luz solar, provocando um efeito de resfriamento no mundo. A queda de temperatura atingiria a agricultura e, posteriormente, as reservas globais de alimentos seriam completamente esgotadas cinco anos após o conflito.”

Uma guerra nuclear era o fim da civilização como a conhecemos..

Dito isto, neste conflito onde não vai existir vencedores, quem mais perde é a população, são os morrem, os que ficam feridos, os que ficam sem os seus familiares e amigos, são as crianças e os mais idosos..

Num primeiro momento, a melhor forma de resolução de qualquer conflito é através de contacto/negociação direta, tentando encontrar pontos de acordo comuns, e evitando todos os outros.. É necessário não escalar o conflito, não criar pontos que nos afastem uns dos outros, mas sim encontrar pontos que nos aproximem. Há medida que vamos criando barreiras uns com os outros, vamos tornando cada vez mais difícil o contacto e a negociação directa, fica mais difícil a possibilidade de chegar a um acordo, a possibilidade de diplomacia.
E sempre que fechamos a porta à diplomacia, temos de ter consciência do que estamos a abdicar ou a provocar..

É uma guerra que ninguém quer.. mas principalmente que não devemos escalar, porque quando chegarmos ao ponto de não retorno, o mundo como o conhecemos não vai existir mais.. ninguém vai sobreviver..

É uma guerra que ninguém quer, porque não é uma guerra, é uma certidão de óbito..

Opinião – Miguel Ribeiro