Atualidade Destaque Educação A Redação Janeiro 30, 2024 (Comments off) (2303)

Pontevelense ganha bolsa Marie Sklodowska-Curie

A aluna de mestrado de Engenharia Física da Universidade de Lisboa e pontevelense Beatriz Amorim, conquistou uma bolsa Marie Sklodowska-Curie, uma das mais competitivas, apenas para mulheres na área nuclear. A jovem estudante começa o estágio de seis meses este mês, num projeto inovador na Alemanha, no âmbito do Programa GET INvolved do FAIR.

Beatriz Amorim diz que “é muito gratificante haver bolsas para mulheres desta área, porque ainda é maioritariamente de homens”, embora considere que “isso está a mudar e é muito bom que haja esse reconhecimento. Foi uma notícia inesperada, não estava à espera. Só me candidatei por insistência do professor Daniel Galaviz Redondo, que dizia que tinha potencial”.

A jovem estudante vai estar envolvida na montagem e colocação em funcionamento de detetores de cintilação para a medida feixes de alta taxa, inseridos no detetor SAFARI, um projeto que permitirá identificar isótopos que provêm de núcleos pesados, como o urânio-235. Este trabalho implica mediações precisas da interação nuclear e das secções eficazes com mudança de carga, através de tecnologia como FRS (sistema magnético para iões pesados relativistas) com detetores de perda de energia de alta resolução e de tempo de voo. Segundo Beatriz Amorim, este estudo é importante para perceber como funcionam as reações nucleares no geral. “Estamos a investigar fenómenos novos que podem ser importantes para descobrirmos mais informações acerca da equação de estado nuclear, que é muito relevante para os físicos desta área”, conclui.

Beatriz Amorim é membro do Grupo de Reações Nucleares, Instrumentação e Astrofísica (NUC-RIA), no LIP – Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas, e que tem como responsável Daniel Galaviz Redondo. Em 2022, outra aluna sua, do mesmo mestrado – Rita Pestana – também ganhou uma bolsa de estudo Marie Sklodowska-Curie.