Economia Ana Mesquita Agosto 6, 2021 (Comments off) (308)

Produtores de milho temem por sustentabilidade de explorações

A AGROTEJO – União Agrícola do Norte do Vale do Tejo, representativa da maioria dos agricultores produtores de milho no Norte do Vale do Tejo, está preocupada com a sustentabilidade das inúmeras explorações agrícolas em que a cultura do milho é predominante.

Em comunicado, a AGROTEJO diz que, “face à decisão de última hora do Ministério da Agricultura de não considerar, na campanha de 2022, uma ajuda ligada naquela cultura e tendo em conta que com a reforma da PAC os atuais valores de direitos de produção terão um valor inferior, a sustentabilidade e continuidade de muitas pequenas explorações agrícolas pode ser posta em causa”.

Além disso, esta decisão “contraria também as necessidades de autossuficiência de Portugal em milho”.

Assim, a AGROTEJO diz que se não se verificarem alterações a esta orientação do Ministério da Agricultura, “grande parte das explorações agrícolas do Norte do Vale do tejo não terão condições de continuar”.

A associação, que representa cerca de 300 agricultores, “apela ainda a todas as entidades oficiais no sentido da sensibilização para a gravidade que esta situação pode originar”.