PSD lamenta a hipocrisia e oportunismo do PS Cartaxo e dos seus eleitos em Pontével

Nota de Imprensa PSD/ Cartaxo, 4 de outubro de 2020

“PSD Cartaxo recorda que o executivo municipal socialista, célere em apontar o dedo à freguesia de Pontével, está há 6 meses a arrastar a implementação do Fundo Social de Emergência cujo intuito é ajudar famílias carenciadas do concelho do Cartaxo.

“Este mecanismo dificilmente entrará em vigor este ano, dado que não foi prevista até à data qualquer alteração ao orçamento para 2020, sendo que o executivo não se compromete com a devida cabimentação.”

“Contrariamente à freguesia de Pontével o município tem folga orçamental extraordinário de 1,5 milhões de euros, fruto da moratória do FAM, que tarda em colocar ao serviço das famílias e empresas do concelho.”

Dado o comunicado lançado pela concelhia do Partido Socialista, do dia 1 de outubro, no qual “repudia e lamenta” a postura do Partido Social Democrata do Cartaxo cabe ao PSD e ao seu eleito na Assembleia de Freguesia de Pontével prestar o esclarecimento que se segue:

– No dia 25 de setembro reuniu a Assembleia de Freguesia de Pontével em sessão ordinária. Nesta sessão o Partido Socialista apresentou uma moção a exigir que a Junta de Freguesia de Pontével, garantisse o transporte de crianças pertencentes a agregados familiares com dificuldades económicas devidamente comprovadas, prejudicadas pelo encerramento do CATL.

– O eleito do Partido Social Democrata, Hernâni Rodrigues questionou em sede própria o executivo de junta sobre a capacidade da junta em assumir esta responsabilidade, face à disponibilidade de tesouraria, bem como à existência de viatura disponível para tal.

– O Presidente da Junta de Freguesia, Jorge Pisca, respondeu que, de facto, não existe na freguesia, nem carrinha homologada para transporte escolar, nem por sua vez qualquer condutor especializado para tal.

– Esta resposta foi completamente ignorada pela concelhia do Partido Socialista no comunicado enviado para a Comunicação Social.

– Tal é revelador da verdadeira natureza deste comunicado, cujo intuito não era arranjar uma solução para as crianças mas, atacar diretamente o executivo da junta de freguesia e, colateralmente, o PSD.

– A Comissão Política do PSD Cartaxo demonstra total solidariedade pela posição do seu eleito em Pontével, que, em boa-fé e sentido de responsabilidade, não podia votar favoravelmente a uma moção cujo resultado saberia à partida ser impossível cumprir. Pese embora concordasse com a necessidade de se procurar apoiar as famílias das crianças prejudicadas pelo encerramento do CATL, nomeadamente em concertação com o município.

– Mais, importa salientar todavia que a postura da concelhia do PS Cartaxo é caricata. Recorde-se que o atual presidente da Comissão Política faz parte do executivo municipal.

– Ora no dia 9 de abril, o PSD Cartaxo enviou para este mesmo executivo um conjunto de contributos para mitigar os efeitos da pandemia junto das famílias mais desfavorecidas do ponto de vista social e económico.

– Salienta-se nesta matéria a criação do Fundo Social de Emergência que basicamente pretende que o município coloque em orçamento uma verba para apoiar de forma extraordinária indivíduos e famílias expostas a condições extremas de vulnerabilidade social e financeira.

– O PSD alertou para a importância de se colocar este mecanismo o mais rapidamente possível em funcionamento, sugerindo que o município aderisse à moratória de despesas de capital do FAM, aproveitando a folga orçamental para garantir o respetivo fundo (o que fez).

– Face à inércia do PS Cartaxo, em julho deste ano, os vereadores do PSD Cartaxo avançaram também com uma proposta de cabimentação do Fundo Social de Emergência, contabilizando para tal cem mil euros provenientes da tal folga cujo valor é aproximadamente 1,5 milhões de euros.

– À data de hoje não existe ainda cabimentação para o fundo. De facto apenas no final do setembro o atual executivo do município aprovou em Assembleia Municipal o regulamento para a sua implementação. Após questões do grupo do PSD, não foi assumido pelo Vice-Presidente do Município qualquer verba para o FSE, nem foi proposta nenhuma alteração ao orçamento para 2020 que o permitisse entrar já em vigor. Passaram entretanto 6 meses.

– É assim com estupefação que olhamos para a acusação do Partido Socialista, que no seu ataque cerrado ao único presidente de junta de freguesia que não é da sua cor política, procura ainda atacar o PSD, esquecendo contudo a sua responsabilidade, ou falta dela, na resposta social que se exige face ao contexto atual de pandemia.

– Tal é revelador de uma total hipocrisia, pois de facto o município socialista que arrasta a colocação em vigor do principal apoio social que facilmente poderia servir de apoio às famílias que apresentam dificuldades em garantir o transporte das suas crianças, venha apontar o dedo a quem quer que seja.

– Os eleitos do PS em Pontével, que inclusive tiveram responsabilidades na desastrosa gestão financeira da freguesia, deveriam também ter uma outra postura quanto à procura de dividendos políticos. Como sabem, a verba utilizada no evento de promoção do Rei e Rainha das Vindimas da freguesia para além de já ter sido gasto, era uma soma muito inferior à necessidade investimento numa viatura homologada e na formação de um condutor especializado.

– A tudo isto, salienta o PSD Cartaxo, as funções que o atual presidente do PS Cartaxo tem no executivo municipal.

– É caricato e incoerente que o Partido Socialista do Cartaxo exija, em sede de município, às forças políticas opositoras a respetiva justificação de medidas que resultem em despesa, mas o faça com total desonestidade intelectual enquanto força opositora.

– Por fim o PSD lamenta o triste espetáculo prestado pelos eleitos do PS em Pontével, que mais grave, é suportado pela própria concelhia ao assinar comunicado incoerente, hipócrita e oportunista.

Cartaxo, 4 de outubro de 2020

Nota de Imprensa do PS Cartaxo https://www.tejoradiojornal.pt/em-pontevel-eleitos-aprovam-proposta-do-ps/

Noticias relacionadas

Deixe um Comentario

*